segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Folhas e tempo

O tempo nem sempre é pedra
As vezes ele me parece como uma folha seca.
Que você encontra jogada no chão
E com cuidado vai moldando desenhos, estrelas, paixões...
E moldamos a nós mesmos.
Mas há quem simplesmente pise ou ignore as velhas folhas
E há quem salte pra dizer que precisam ser varridas.
Ora, esses talvez nunca entendam meu verso.
E talvez não entendam verso algum.
O que importa?
Quando há as almas belas que fazem da vida uma grande galeria de obras de arte!!
Mesmo que usando apenas folhas secas...


Jaisson.
Em alguma vez,
À Daniele,
Amiga. Irmã.

Um comentário:

_vEnTuRiNi_ disse...

tah loco professor...devia fazer especialização em poesia...escreves bem pra caramba e realmente preciso t falar...acho q sou das pessoas que não daum bola pro tempo ou daquelas que passam e pisam nas folhas mas em varias ocasioes so aquele da galeria q aprecia o tempo como qm aprecia um sorvete ou um obra de arte...hehe...Na real somos um pouco dos 3 depende a situação neh...

abr sor
Eduardo Venturini.
Velho aluno e amigo